quinta-feira, 17 de maio de 2012

A GUERRA NO PÁTIO DA ESCOLA


Playground War - Libya

Dá pra perceber o sofrimento das crianças e sua rejeição às forças políticas que destruíram a sua cidade e mataram muitos de seus parentes. Mas os ratos adultos entrevistados procuram, com dificuldade, defender a sua posição: os professores encarregados de doutrinar as crianças, a mãe que tem medo de tomar um tiro dos vizinhos, a psicóloga que acha normal tanta morte e destruição, e a agente social que alega, como desculpa e não como acusação ao CNT, que ainda não existe um governo na Líbia. O administrador nomeado pelo CNT lamenta que não lhe dão dinheiro para a reconstrução da cidade nem para nada.

Chamaram a OTAN para destruir o país e matar tanta gente,  entregaram suas riquezas ao Qatar e ao Ocidente, espalharam a miséria, e não se arrependem. Não há limites para o fundamentalismo religioso e para o entreguismo. 

A narradora fantasia que "o desafio do CNT é mostrar-se comprometido com a democracia e com o bem-estar da população", como se eles não fossem um bando de ladrões e assassinos, e como ela, agentes do Imperialismo.

Que Alá proteja estas crianças e permita que esta geração cresça forte, sábia e disposta a reconquistar o país e fazer justiça.



COMENTÁRIO DE LIZZIE PHELAN:

"O documentário recém-lançado pela TV Journeyman, 'A Guerra no Recreio -- Líbia', é uma visão extremamente importante e dolorosa das realidades da guerra da OTAN contra a Líbia.

Filmado em Sirte, a cidade que foi destruída durante as últimas semanas da campanha de bombardeio da OTAN, os entrevistados deram com muita coragem um relato extremamente honesto do sofrimento suportado em primeiro lugar pelas principais vítimas desta agressão, as crianças da Líbia.

Isso mostra que o resultado dessa guerra, como todas as guerras e intervenções em que o Ocidente se envolveu, foi a divisão das pessoas que antes da intervenção viviam lado a lado como irmãos e irmãs, em paz e unidade. Na Síria, se o apoio ocidental à insurgência continuar, a Líbia e a História mostram que o resultado será o mesmo.

Para uma repórter que presenciou a Líbia se transformar de um país próspero, desenvolvido, que proporcionava uma boa qualidade de vida para os seus cidadãos -- um fato a que as crianças neste documentário aludem repetidamente quando observam que desejam que a vida volte a ser como era antes da guerra -- em um país destruído além da compreensão, e está agora na Nicarágua, que passou por uma experiência semelhante, são particularmente interessantes os comentários de uma das famílias focalizadas, que apoiou a revolta pró-Ocidente contra a Jamahiriya liderada por Muammar Gaddafi. Eles notam que a revolução que eles apoiaram não lhes trouxe nenhum benefício, e que eles também sofreram seriamente com a guerra.

Na Nicarágua, muitas das pessoas comuns da classe trabalhadora que lutaram pelos 'Contras' apoiados pelos EUA contra o governo da FSLN [Frente Sandinista de Libertação Nacional] na década de 1980, estão agora apoiando e trabalhando com o governo da FSLN, reeleito em 2007. A principal razão para isso é que depois de viver 16 anos sob o governo neoliberal apoiado pelos EUA durante os anos 1990 e início dos 2000, longe de receberem quaisquer benefícios, ao invés disso eles sofreram muito. Como esta família líbia, eles receberam a traição em primeira mão das forças que apoiaram.

É uma profunda tragédia ver um processo semelhante ocorrer entre os apoiantes da campanha da OTAN na Líbia, e a Nicarágua oferece muitas lições em termos de conciliação de uma sociedade profundamente dividida como a que existe hoje na Líbia.

Este vídeo mostra como as crianças, que entendem pouco da guerra e da história política da Líbia, são naturalmente inclinadas a apoiar as posições de seus pais. É essencial para o seu futuro, não que o passado seja glorificado, mas que todos recebam uma educação honesta sobre a história da Líbia, a história do Imperialismo, e os motivos políticos que levaram o Ocidente a apoiar a devastação que eles estão vivendo. Somente com uma educação desse tipo é que eles podem compreender criticamente as posições de seus pais, o que eles estão vivendo (por exemplo, por que o CNT não vai liberar fundos para reconstruir suas vidas, como afirma neste documentário o oficial local do CNT) e fazer julgamentos sobre o que é melhor para o seu futuro e o de seus próprios filhos.

Há uma afirmação muito errada neste documentário, a de que a 'revolução'/insurgência teve sucesso em Sirte. A realidade, e isso está bem documentado na cobertura da imprensa da época, é que a insurgência não teve sucesso em Sirte, e por isso a destruiu na extensão em que se vê no documentário. Era impossível para a insurgência ter sucesso em Sirte, e só foi capaz de esmagar o apoio a Gaddafi após a força militar mais poderosa já conhecida pelo Homem, a OTAN, atacar a cidade e a Resistência Verde impiedosamente por quase dois meses.

A coragem dos participantes deste documentário em falar honestamente sobre o seu sofrimento, numa altura em que as armas são lei, não deve ser subestimada. Centenas de milhares de pessoas tiveram de fugir do país ou estão a definhar em centros de detenção improvisados dentro da Líbia, onde a tortura é rotina, simplesmente por suas posições políticas serem conhecidas."

http://globalciviliansforpeace.com/2012/05/17/playground-war-libya-documentary/#more-3900

http://libyasos.blogspot.com.br/

http://lizzie-phelan.blogspot.co.uk/

Nenhum comentário:

Postar um comentário