sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

UNSMIL QUER INVIABILIZAR SOLUÇÃO PACÍFICA


Como era de esperar, a ONU está fazendo tudo que pode para inviabilizar uma eleição limpa na Líbia, pois será o fim do reinado dos seus capangas terroristas.



Folhetos de propaganda eleitoral da campanha de Saif al-Islam Kadafi sendo impressos

http://libyanwarthetruth.com/video-tripoli-libya-dr-saif-al-islam-ghadafi-supported-candidate-president




Saif al Islam Ghadafi apoiado como candidato a presidente

Joanne Moriarty - 21/12/2017

"Depois que a candidatura do Dr. Saif foi confirmada publicamente, o registro de eleitores saltou de 300.000 para 1.681.818, conforme relatado pela Alta Comissão Eleitoral em 27 de dezembro de 2017. Esta é uma prova absoluta do apoio maciço do povo líbio e das grandes tribos da Líbia a Saif al-Islam Kadafi para ser o próximo presidente da Líbia. As Grandes Tribos da Líbia agora começam a apoiá-lo abertamente como candidato a presidente da Líbia..."


O xeque Ali Alahwel, líder supremo de todas as tribos da Líbia apóia o Dr. Saif em uma conferência no Egito

"... A eleição de 2018 será a eleição que devolverá à Líbia a sua soberania, sob a orientação e direção de verdadeiros líbios devidamente eleitos por cidadãos líbios legítimos.

O povo líbio, por grande maioria, apoia o Dr. Saif al Islam Ghadafi para presidente da Líbia. Nenhuma ameaça ou mentira ou truques sujos os impedirá de apoiar o líder escolhido. Não é para a ONU, os EUA, o Reino Unido, a França, a Itália, os Emirados Árabes Unidos, a Arábia Saudita ou Israel determinarem quem deve ser o líder da Líbia. Cabe aos cidadãos líbios legítimos trabalharem com seus irmãos e irmãs através da sua estrutura tribal (todos os líbios são membros de tribos) para escolher quem liderará seu país.

Deus apresse sua vitória!"



http://libyanwarthetruth.com/libya-voting-registration-soars-saif-al-islam-ghadafi-enters-presidential-race




Declaração da Conferência das Forças Nacionais dos Apoiantes do Sistema das Massas sobre as Observações do Chefe da Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia


"As Forças Nacionais observaram os recentes comentários do Dr. Ghassan Salama, chefe da Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia [UNSMIL], em que afirmou que não quer dialogar com o dr. Saif al-Islam Qaddafi, que representa os defensores do sistema da massas no País e no exterior, sob o pretexto de que este é procurado pelo Tribunal Penal Internacional.

As Forças Nacionais estão surpresas com tal declaração do representante da comunidade internacional, que foi encarregado de contribuir para a resolução da crise da Líbia, facilitando o diálogo entre as partes, o que se reflete e expressa no plano em três passos que o organismo internacional [ONU] aprovou e considera como um quadro de referência para a solução política na Líbia.

Enfatizamos que esta última declaração não está de acordo com o caminho que foi estabelecido para resolver a crise da Líbia. Em vez disso, ela adota uma abordagem que aprofunda a lacuna entre os filhos da Nação, porque impede a aproximação entre eles que acabaria com as tragédias que o povo da Líbia sofre todos os dias.

Tal afirmação apóia a continuação do isolacionismo e da exclusão que levaram à destruição do Estado da Líbia, ao surgimento de milícias armadas, sindicatos do crime organizado e à disseminação de grupos terroristas armados em todo o País.

As Forças Nacionais dos Apoiantes do Sistema das Massas convidam o Dr. Ghassan Salama e a Missão das Nações Unidas a se distanciarem de todas as partes envolvidas e assumirem integralmente o compromisso de conduzir o diálogo entre as partes sem discriminação.

As Forças Nacionais dos Apoiantes do Sistema das Massas declaram e enfatizam:

1. O Dr. Saif al-Islam al-Kadafi vive entre os seus compatriotas e eles determinam o seu futuro e o futuro do seu país. Ele não procurou reunir-se com o chefe da Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia porque acredita que a solução da questão da Líbia deve ser alcançada através do diálogo inter-líbio, sem pressão ou interferência externa, e para esse fim ele está fazendo grandes esforços por meio da reconciliação e do diálogo para unir seu povo, para enfrentar as políticas facciosas que foram e continuam sendo a principal causa da crise da Líbia.

2. O Tribunal Penal Internacional colocou uma espada no pescoço dos países em desenvolvimento para forçá-los a posições políticas que sirvam os interesses das nações colonizadoras. O Dr. Saif al-Islam al-Kadafi não se preocupa com as acusações feitas por um tribunal do qual a Líbia não é signatária. Mesmo países que freqüentemente usam o Tribunal Penal Internacional como arma e instrumento de subjugação colonial, não assinaram sua carta até o momento, e com base em questões políticas, não legais.

3. O povo líbio é livre para definir suas opções, assim como outros povos que em diversas ocasiões escolheram líderes que enfrentaram diversas acusações falsas, politicamente motivadas, emitidas pelo TPI.

4. A declaração do Dr. Ghassan Salama baseia-se inteiramente na lógica da exclusão, que não contribuirá para uma solução ou um acordo político justo porque está enraizada na falta de entendimento e num diagnóstico irreal da situação na Líbia. Isto é especialmente inadequado ao chefe da Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia, a quem foi designada a tarefa de dialogar com todas as partes para alcançar uma solução satisfatória para todos.

5. Esta abordagem negativa não afetará a vontade e a determinação do povo da Líbia que procura salvar seu país através de uma interação positiva com a próxima eleição em 2018. Portanto, pedimos ao nosso Povo que responda continuando a inscrever-se no registro de eleitores para a escolha daqueles que representam o interesse real do povo líbio.

O povo líbio é o primeiro e último a determinar o futuro do seu país. O Povo aceita a iniciativa de apoiar um acordo político justo, porém rechaça quaisquer ditames estrangeiros.

Conclusão

A Conferência das Forças Nacionais dos Apoiantes do Sistema das Massas continua a expandir seu trabalho, a ativar suas bases populares e a difundir a cultura da luta pacífica legítima até que a vontade do povo da Líbia triunfe sobre todas as manobras e conspirações estrangeiras."

Em 28/12/2017 - Conferência das Forças Nacionais dos Apoiantes do Sistema das Massas





ÁFRICA, PARE DE SOFRER

Um pastor evangélico angolano esclarece alguns motivos do assassinato de Kadafi.



(contribuição do prof. Jorge José de Oliveira)

Errata: a Líbia era um deserto (desert), não uma sobremesa (dessert); 15% e 83% são porcentagens de alfabetização, não de analfabetismo.




ATUALIZAÇÃO EM 09/01/2018

"Crimes Atrozes Contra o Povo Líbio"

O memorando de Saif al-Islam Kadafi

"Em outubro de 2017, O dr. Saif al-Islam Kadafi, filho de Muammar al-Kadafi, escreveu um memorando para o site Herland, um portal político na Internet, fundado pela norueguesa Hanne Nabintu Herland, escritora e historiadora das religiões.

O memorando de Saif al-Kadafi foi publicado em diferentes idiomas. Seu objetivo é esclarecer alguns fatos e descrever os terríveis crimes cometidos contra o povo líbio. O memorando lembra que esses crimes foram cometidos em nome de uma intervenção militar "humanitária" para trazer aos civis proteção, democracia e prosperidade.

Os países membros da OTAN atacaram a Líbia com todas as armas à sua disposição e com a ajuda de alguns países árabes e também alguns líbios. A justificativa foi tão falsa como a da intervenção militar no Iraque em 2003, pois na verdade visava a destruição sistemática de um estado soberano e uma nação pacífica. O memorando visa divulgar os crimes cometidos pela comunidade internacional, organizações de direitos humanos e outras organizações não governamentais (ONGs).

O povo líbio ​​deve ser ajudado em seus esforços incansáveis para reconstruir seu pequeno país. O memorando enumera as atrocidades cometidas pela OTAN contra a população civil. Muitos civis foram mortos pelas operações aéreas da OTAN. Depois disso, a OTAN ajudou as milícias a governar a Líbia, e crimes terroristas ainda mais terríveis foram cometidos contra libios e estrangeiros. No entanto, o Tribunal Penal Internacional não emitiu nenhum mandado de prisão contra os líderes das milícias ou das forças da OTAN."

https://libyaagainstsuperpowermedia.org/2018/01/07/atrocious-crimes-against-the-libyan-people-memorandum-of-dr-saif-al-islam-gaddafi/


O memorando (em Inglês) está em:



O memorando é acompanhado de diversos links que o ilustram e comprovam:

THE HANGING OF A LIBYAN SOLDIER IN THE STREETS OF BENGHAZI IN 2011 

CIVILIANS DRIVING TANKS IN THE STREETS OF BENGHAZI 

BURNING AND EATING THE LIVER OF A SECURITY OFFICER IN 2011 IN THE CITY OF MISRATA 

THE GUARDIAN REPORT ON THE ACTUAL NUMBER OF DEATHS IN THE 2011 WAR AMNESTY REPORT 

RAPE CLAIMS 

RAPE CLAIMS IN 2011 

THE LIBYAN PILOTS IN MALTA 

HUMAN RIGHTS WATCH REPORT 

RAPE CLAIMS 

CRIMINAL JUSTICE COURT REPORT ON MUAMMAR QADDAFI, SAFI AL ISLAM AND ABDULLAH AL SANUSSI 

CRIMINAL JUSTICE COURT REPORT ON SAIF AL ISLAM 

MUAMMAR AL QADDAFI’S DEAD BODY 

MUAMMAR AL QADDAFI’S BEFORE-AFTER DEATH FOOTAGE 

ABDULLAH AL SANNUSI’S IMPRISONMENT IN MILITIA’S PRISONS 

BBC REPORT ON ABDULHAKIM BELHAJ LIBYA 

GENERAL AMNESTY LAW 

SHELLING BANI WALID IN 2012 BY THE NEW GOVERNMENT’S MILITIAS IN 2012 

BURNING OF HOUSES AND PROPERTIES IN THE CITY OF WERSHIFANA IN 2014 

A WIPEOUT OF THE CITY OF SIRTE BY THE SO CALLED “REBELS” IN 2011 

THE DESTRUCTION OF THE CITY OF BENGHAZI 

QADDAFI’S CONVOY AFTER GETTING STRIKED BY NATO IN 2011 

BURNING OF TRIPOLI INTERNATIONAL AIRPORT 

BURNING OF LIBYA’S AIERIAL CONVOY AND AIRPLANES IN TRIPOLI INTERNATIONAL AIRPORT 

SATTELITE IMAGES OF THE BURNING OIL TANKS IN TRIPOLI 

OIL TANKS BURNING FOOTAGE LINK 

YOUSEF AL-GHERIANI’S COURT DECISION 

AL-JFAARA FAMILY MASSACRE IN BANI WALID 2011 

RT REPORT ON THE SIEGE OF BANI WALID AND CHILDREEN DEATHS IN THE CITY BY MILITIA SHELLINGS 

AL-KHWAILDI’S FAMILY MASSACRE BY NATO IN 2011 

MAJER MASSACRE BY NATO IN THE CITY OF ZLITIN 2011 

THE MURDER OF SAIF AL ARAB MUAMMAR AL QADDAFI BY NATO IN 2011 

KIDNAPPING AND TORTURING THE ISLAMIC SCHOLAR AL MADANI AL SHWEERIF BY “THE REBELS” 

HUSSAIN AL KARAMI’S (ISIS TERRORIST) FRIDAY PRAYER SPEECH IN THE CITY OF SIRTE 

THE FORCE-ENTRY OF MUHAMMED HASSAN’S HOME BY THE SO-CALLED REBELS IN 2011 

HUMAN RIGHTS WATCH REPORT ON THE DARK PRISONS OF LIBYA 

THE KILLING OF THE EGYPTIAN POPE IN THE CITY OF MISRATA IN 2012 

THE MURDER OF 21 EGYPTIAN CHRISTIANS BY ISIS TERRORISTS IN THE CITY OF SIRTE 

THE MURDER OF 30 ETHIOPIAN CHRISTIANS IN LIBYA 

MURDERING OF THE AMERICAN TEACHER IN THE CITY OF BENGHAZI 

THE MURDER OF THE RED CROSS CREW IN THE CITY OF SIRTE 

THE FRENCH EMBASSY’S BOMBING IN TRIPOLI 

US EMBASSY ATTACKS IN BENGHAZI 2012 

TONY BLAIR ADDMITING THE “MISTAKE” OF THE INVASION OF IRAQ 

AHMED MAETIEG’s WEBPAGE 

NIHAD MAETIEG SPEECH ON one WEBPAGE 

WORLD HEALTH organization REPORT ON HEALTH-CARE IN LIBYA 

LIBYAN OIL EXPORT REPORT IN 2015 



UMA VISÃO CONDESCENDENTE COM O OCIDENTE






O filho de Kadafi: raio de esperança para a Líbia? - 28.11.2017

"Há seis anos, em 20 de outubro de 2011, o líder líbio Muamar al-Kadafi foi brutalmente assassinado por rebeldes apoiados pela OTAN. A guerra civil resultante no país ainda está em andamento. O primeiro-ministro Fayez al-Sarraj governa oficialmente o país, mas o ex-general Khalifa Haftar está no controle do Oriente. Entretanto, inúmeras milícias lutam entre si, e o Estado islâmico e a Al-Qaeda também estão envolvidos. Há relatos de tráfico de escravos, tortura, abduções. O sistema político é frágil e a inflação é tão alta que o alimento se torna inacessível. Em suma, como até mesmo o jornal alemão de Berlim 'Der Tagesspiegel' concluiu: 'É um desastre que permite questionar se foi uma boa idéia derrubar o odiado chefe de Estado e, assim, mergulhar o país no caos.' O que é certo é que Muamar al-Kadafi sabia como manter unido o povo líbio, composto de sociedades tribais tradicionais, árabes e de várias minorias. A Líbia alcançou a independência econômica sob Kadafi e foi considerada o país mais rico da África. Kadafi introduziu na Líbia a 'Jamahiriya' (república  das massas populares), uma forma de democracia direta, o que permitiu que o povo líbio exercesse o poder diretamente através de congressos populares e comitês populares. A jornalista britânica Lizzy Phelan, que visitou a Líbia duas vezes em 2011 e falou com a população local concluiu que 90% da população apoiava Kadafi. O economista e publicista dos EUA, Paul Craig Roberts, citou o ex-secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, como segue: 'Nós pensamos que nós sabíamos o que aconteceria na Líbia... e estávamos errados. Precisamos considerar que, em cada um desses países, existe uma estrutura que reúne a sociedade. E como aprendemos, especialmente na Líbia, tudo se destrói quando você remove a cabeça... e você colherá o caos.' Mas agora, no meio do caos da Líbia, um novo raio de esperança começa a brilhar. O povo líbio não espera mais nada das conversações de paz anteriores na Líbia. É no filho de Kadafi, Saif al-Islam, que o povo líbio colocou nova esperança. Ele apenas prosseguiu uma política de paz real. Essas declarações publicadas pelo portal de notícias SPUTNIK on 18 de outubro de 2017, foram feitas por Khalid al Zaidi, advogado da família Kadafi. Como lembrete, Saif al-Islam al-Kadafi (a seguir designado Saif Kadafi), o segundo filho mais velho de Muamar al-Kadafi, estudou em Viena e em Londres e atuou como um estadista moderado e diplomático sob seu pai. Durante a guerra civil da Líbia em 2011, ele convocou regularmente o povo líbio a resistir aos rebeldes parcialmente contrabandeados para dentro do país, a fim de evitar a política de separação alimentada pelo Ocidente. Em 19 de novembro de 2011, Saif Kadafi foi preso por rebeldes líbios no sul da Líbia. Em julho de 2015, ele foi condenado à morte por fuzilamento em um julgamento em Trípoli. Como seu advogado informou, o julgamento foi conduzido sob padrões legais questionáveis, incluindo confissões feitas sob tortura. Em 9 de junho de 2017, Saif Kadafi foi libertado da prisão como parte de uma anistia geral. Pouco tempo depois, em um discurso para o povo da Líbia e para a comunidade internacional, ele pediu para pôr fim à disputa fratricida na Líbia e formar um estado constitucional. Basem as-Sol, o porta-voz oficial da associação tribal, disse em poucas palavras: 'A esmagadora maioria da sociedade da Líbia acolherá o retorno de Saif al-Islam à grande política e à presidência. Ele é uma figura significativa capaz de liderar o país para a reconciliação nacional.' O advogado da família Kadafi Khalid al Zaidi também está convencido de que o filho de Muamar al-Kadafi poderia chegar a um acordo político. Na situação atual, onde nenhum diálogo real ocorre, o retorno de Saif Kadafi à política seria necessário porque ele teria o apoio das pessoas comuns. Khalid al Zaidi diz literalmente: 'Saif Kadafi viaja pelo país, encontra as pessoas, tribos e líderes locais (...), tenta apaziguar as partes conflitantes e estabilizar a situação. (...) Para a maioria das tribos da Líbia , Saif Kadafi é a última esperança.' Esperemos que a comunidade ocidental das nações aprenda com os erros do passado. Para o bem do povo líbio, esta 'última esperança' da Líbia deve ser considerada valiosa e digna de apoio. Seria fatal se o Ocidente interferisse de forma destrutiva novamente por causa da 'compreensão da democracia' ocidental e particularmente por causa de seus próprios interesses."